O Pai

Local: Rua Frei Caneca, 569 - Shopping Frei Caneca, 7º Andar.
Telefone: (11) 3472-2229 / 3472-2230
Horário: Quartas, às 21h00
Ingressos: R$ 80,00
Duração: 80 minutos
Classificação indicativa: 12 anos





 

Vencedor do Prêmio Shell de Melhor Ator e comemorando 60 anos de carreira, Fulvio Stefanini chega com a peça O PAI, premiado e emocionante texto do francês Florian Zeller

O PAI, (Le Père) título original em francês, é um texto jovem, escrito em 2012 por um autor de 32 anos de idade: Florian Zeller.
Rapidamente tornou-se um fenômeno mundial, estando em cartaz em mais de 20 países.
Na França ganhou os Prêmios Molière, o mais importante do teatro francês, de melhor peça, ator e atriz. Segundo a imprensa francesa, “a melhor peça em cartaz em Paris em 2012”.

Na Inglaterra, foi eleita “a melhor peça do ano” pelo The Guardian.
Na Brodway, levou o prêmio Tony Awards de melhor ator para Frank Langella.
Em Lisboa, Madrid e Berlim, enormes sucessos de publico e crítica.

Recentemente, esteve em cartaz na Argentina e Santiago e ainda estreou nos cinemas com o nome A Viagem de meu pai, 2015.
Aqui, além do Prêmio Shell de melhor ator, ganhou os Prêmios Aplauso Brasil de melhor cenário e melhor espetáculo do ano!
O espetáculo retrata com requintado humor as vidas de um pai, de uma filha e seu namorado. As confusões, o desgaste e a compaixão. Tudo tratado de maneira poética, lúdica, romântica. O texto mergulha no universo provável de um homem saudável cuja memória vacila.

Nós mesmos sentimos as contradições dos fatos, a necessidade das repetições, a perda da lógica comum e as incompreensões e nossa razão fica também perdida. Pouco a pouco, ninguém consegue distinguir o real da ficção, o verdadeiro do falso, o importante e o superficial e então nós mesmos nos encontramos nesse vazio mental sem nenhum ponto de apoio, sem nenhuma possibilidade de evitar esse movimento inexorável em direção à alienação.

O norte da encenação é identificar a poesia de uma relação tão desgastada a partir de um problema aparentemente sem solução.

A primeira encenação brasileira traz Fulvio Stefanini no papel título, comemorando 60 anos de carreira e vencedor do Premio Shell de Melhor Ator. Completam o elenco Carolina Gonzalez, Lara Córdulla, Carol Mariottini, Paulo Emílio Lisboa e Wilson Gomes. A montagem conta com uma equipe de grande qualidade com André Cortez nos cenários, Letícia Barbieri nos figurinos, Wagner Antônio na iluminação e Léo Stefanini, que vem despontando na cena teatral, dirigindo seu pai justamente em uma peça que fala sobre a relação entre pais e filhos.

Uma obra que trata a relação humana de forma sutil e delicada. Abordar a “reta final” de uma trajetória desta maneira é fundamental para nossa própria compreensão. As dúvidas da filha, as confusões do pai, o envolvimento de terceiros. Tudo tão corriqueiro, tão próximo de todos nós. O que fazer? O PAI não responde. Apenas comove...

Por Fulvio Stefanini
Viver o André será um grande desafio. Um personagem instigante, complexo, divertido e comovente.
Quando li a peça pela primeira vez percebi que teria a oportunidade de realizar um grande trabalho. Lidar com um tema tão delicado, de uma maneira sutil, buscando valorizar o que há de mais humano na relação com a filha e com os próximos.
Fiz 60 anos de carreira. Ganhei de presente “O PAI”.
 

Ficha Técnica

Texto: Florian Zeller
Tradução: Carolina Gonzalez e Lenita Aghetoni
Direção: Léo Stefanini
Elenco: Fulvio Stefanini, Carol Gonzalez, Lara Córdulla, Carol Mariottini, Paulo Emilio Lisboa e Wilson Gomes
Cenário: André Cortez
Figurinos: Letícia Barbieri
Iluminação: Wagner Antônio
Assessoria de Imprensa: Morente Forte
Direção de Arte Gráfica: Giovani Tozi
Fotos de Cena: João Caldas Fº
Fotos em estúdio | “Smoking”: Paulo Emilio Lisboa
Conteúdo audiovisual: Matheus Luz
Filmagens e Edições para web: Jady Forte - Desteatrando
Realização: Morente Forte Produções Teatrais e Sangiorgi e Gonzalez Produções
Produção 2017: Adriana Grzyb, Giovani Tozi, Léo Stefanini e Carol Gonzalez

A Meia Entrada vale para:
Estudantes, Pessoa com deficiência e um acompanhante, Idosos (pessoas com mais de 60 anos), Jovens pertencentes a famílias de baixa renda, com idades de 15 a 29 anos, Diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares de cargos do quadro de apoio das escolas das redes estadual e municipais, Professores da rede pública estadual e das redes municipais de ensino.